Polêmica sobre a criação do Parque Nacional da Serra da Mantiqueira

Criação do parque entre os estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro vem gerando muita discussão; se aprovado, deverá influenciar diretamente na vida de quem vive ou trabalha na região.

A proposta da criação de um parque nacional na Serra da Mantiqueira, entre os estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro vem gerando muita discussão. Muito se fala e se cogita sobre a criação deste parque, que irá influenciar diretamente na vida de quem vive ou trabalha na área.

A ideia da criação do Parque Nacional Altos da Mantiqueira é proteger as últimas grandes áreas contínuas de florestas e campos de altitude da Serra da Mantiqueira, além da importância paisagística, já que na região nascem centenas de rios que abastecem as cidades do Vale do Paraíba Paulista e o Sul do Estado do Rio de Janeiro.

Por se tratar de um projeto intervencionista, muitos moradores e fazendeiros locais temem as medidas que serão tomadas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade  (ICMBio), responsável pelo projeto. Por conta destas polêmicas, o ICMBio publicou em sua página na internet diversas perguntas e respostas que esclarecem um pouco as propostas (www.icmbio.gov.br).

Não há um levantamento de quantas pessoas moram em toda a extensão do Parque Nacional da Serra da Mantiqueira. Só em um bairro da zona rural de Guaratinguetá são mais de 500 moradores e eles não poderão residir na área do Parque. Em Piquete, seria necessário desapropriar o que corresponde a 38% da área do município.

Proprietários de terras no local dizem que a criação do parque provocaria demissões e algumas estradas rurais poderão ser fechadas.

Segundo o Instituto Chico Mendes, a visitação nesta futura área pública e o desenho do parque ainda serão discutidos com as prefeituras, e as pessoas só precisarão deixar o local após receberem a indenização do governo.

Muitas áreas de conservação ambiental do Vale do Paraíba são projetos do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC: conjunto de unidades de conservação federais, estaduais e municipais que tem como objetivo contribuir para a manutenção da diversidade biológica, proteger as espécies ameaçadas de extinção, contribuir para a preservação e a restauração da diversidade de ecossistemas naturais, valorizar econômica e socialmente a diversidade biológica, favorecer condições e promover a educação e interpretação ambiental, etc.

Confira alguns projetos:
• Área de Proteção Ambiental da Mantiqueira, abrange municípios nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro e tem como objetivos, além de garantir a conservação do conjunto paisagístico e da cultura regional, proteger e preservar as cadeias montanhosas do sudeste brasileiro; a flora endêmica e andina; os remanescentes dos bosques de araucárias; a continuidade da cobertura vegetal e a vida selvagem, principalmente as espécies ameaçadas de extinção.

• O Projeto Corredor Ecológico tem a função de recuperar áreas degradadas e reconectar partes isoladas de floresta, facilitando a movimentação de espécies animais e possibilitando a prática de atividades sustentáveis nas áreas intermediárias, beneficiando pequenos produtores que vivem na região

• O Projeto Ambiental de preservação da água e do meio ambiente destinado às escolas municipais de Taubaté, implantando o conteúdo de conscientização nas salas de aula.

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn