Adiamento do ENEM compromete calendário das universidades

Até o anúncio da nova data, incertezas quanto ao calendário de vestibulares.

O ministro da educação, Fernando Haddad, afirmou, ontem (1º), que as novas questões do Exame Nacional do Ensino Médio serão aplicadas “provavelmente no início de novembro”. A nova data, além de ser próxima dos vestibulares das maiores universidades do país (Fuvest, Unesp e Unicamp), compromete o cronograma das instituições que aderiram integral ou parcialmente o Enem em seus processos seletivos.

“Me parece pouco difícil que esses dados estejam na nossa mão a tempo”, disse Renato Pedrosa, coordenador executivo da Comvest (organizadora do vestibular da Unicamp), ao ressaltar que a Unicamp precisa que as notas do exame sejam entregues até 30 de novembro para que sejam contabilizadas na primeira fase do vestibular. Na Usp, o resultado da prova do Mec precisa chegar na Fuvest em tempo para não comprometer a segunda fase, que será aplicada no dia 14 de dezembro.

Já a Unesp é a única das três universidades que cogita reagendar o vestibular caso o Enem seja marcado para o mesmo dia de sua primeira fase (8/11). A instituição também espera a posição do Mec para dizer se a utilização do Enem ainda é viável.

45 universidades federais vão usar parcial ou integralmente o Enem no processo seletivo, sendo que 24 delas substituirão o vestibular tradicional pelo novo exame. 32 instituições disseram que não devem alterar seus calendários. A UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia) resolveu adiar a seleção e a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) decidiu suspender temporariamente suas inscrições, que começariam ontem.

Fontes: Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn