Apesar da fraude, MEC acredita que a abstenção será menor do que em 2008

Prova será neste sábado e domingo.

A expectativa do Ministério da Educação (Mec) é que a taxa de abstenção no Enem deste ano seja inferior a de 2008, quando chegou a 27,3%. No entanto, em São Paulo, as perspectivas não são tão animadoras.

Os fatos deste ano provocaram certa instabilidade e ansiedade nos alunos, que precisaram lidar com o novo formato de prova, novo calendário de provas e com a fraude do exame. “Faltou planejamento. O aluno não pode se sentir seguro com as notícias dadas de última hora”, fala a coordenadora do curso, Esmeralda Pucinelli, sobre as mudanças da prova anunciadas para este ano. “O ideal seria que essas mudanças acontecessem em 2010”.

Apesar das alterações que aconteceram no Enem durante este ano, praticamente todos os alunos do Colégio Progressão farão a prova. “Eles sabem da importância do exame, porque ele conta alguns pontos no somatório das notas dos vestibulares”, afirma a coordenadora. Neste ano o Enem foi muito trabalhado com os estudantes, que participaram de dois ciclos de simulados direcionados para a prova dos dias 5 e 6 de dezembro. Além disso, o exame fraudado foi resolvido e comentado pelos professores do curso. “Eles ficaram mais tranquilos quando viram o nível da prova que vazou, que para eles foi facílimo”.

Entre as novidades deste ano estão: o novo formato do exame, que terá 180 questões e uma redação, e será realizado em dois dias, a adoção de uma nova matriz de competências e conteúdos, o uso da metodologia da Teoria de Resposta ao Item, e a utilização da prova como processo seletivo unificado para o ingresso em algumas universidades federais. Confira em www.enem.inep.gov.br/pdf/enemifs_301109.pdf o mapa de adesão ao Enem.

As alunas Fabiana Santos (Turma Med) e Andressa dos Santos (Extensivo) falaram que essas mudanças tornaram a prova mais cansativa, “pode ser que depois melhore [unificação dos vestibulares], mas neste ano não adiantou’. O aluno Peterson Claro (3º ano) disse que vai fazer a prova para treinar, porque para ele a nota do Enem não vai adiantar em nada, já que as universidades em que vai prestar vestibular não aderiram ao exame.

“O Enem vem evoluindo. A prova vem se tornando mais abrangente”, afirma Esmeralda. O coordenador do ensino médio, Antonio Salerno Neto, completa que o exame é interessante, pois força uma padronização do conteúdo do ensino médio, nas escolas públicas e privadas. “O resultado disso será o Enem como único processo de seleção para as universidades”.

O Progressão deseja aos alunos uma boa prova!

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn