Fraude provoca prejuízo superior a R$ 30 milhões

Custo supera R$ 30 milhões para reimpressão da prova, ainda não há definição de quem deve pagar a conta.

O ministro da educação, Fernando Haddad, disse nesta quinta-feira (1º), em entrevista coletiva, que o custo da reimpressão da prova do Exame Nacional do Ensino Médio deve ficar em torno de 30% dos 148 milhões de reais gastos para a realização do exame. Haddad estimou em 35 milhões de reais o prejuízo provocado pela fraude, mas não soube informar quem arcará com esses gastos.

Em maio, os reitores das universidades federais alertaram o ministro sobre o risco de vazamento da prova, em razão de o exame ser aplicado em 1829 cidades. No entanto, Haddad assegurou-lhes a segurança do exame, na época.

O secretário da educação do estado de São Paulo e ex-ministro da educação, Paulo Renato Souza (PSDB), afirmou ontem que a fraude foi resultado das falhas de Ministério da Educação (Mec), ‘fico solidário ao ministro porque ele pessoalmente não tem culpa da história, mas a administração falhou”. Para Souza, a mudança do exame deveria ter sido feita em etapas, com aplicação apenas no ano que vem ou ainda no seguinte.

Fonte: Folha de S. Paulo

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn