MEC pretende fazer pelo menos duas provas por ano

Modelo deverá atender os vestibulares do meio de ano.

Com o objetivo de adaptar o novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) aos calendários das universidades federais, o ministro da educação, Fernando Haddad, afirmou que há possibilidade do MEC (Ministério da Educação) promover mais de duas provas por ano, dependendo do orçamento disponível.

As datas marcadas para o exame deste ano são 3 e 4 de outubro. Para 2010, a primeira edição deverá ocorrer em março ou abril. A proposta é facilitar a utilização da nota do novo Enem nas universidades, que poderão usá-la como único exame de seleção, primeira fase do processo seletivo, percentual na nota final, ou nas vagas remanescentes.

A prova terá 200 questões que abordarão assuntos sobre língua portuguesa, matemática, ciências humanas e naturais. Nelas, serão avaliadas a capacidade de raciocínio em detrimento da memorização, exigindo mais conteúdo informativo do aluno. Amaro Lins, presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), explicou que na prova de matemática, por exemplo, será exigida a habilidade de interpretação de gráficos e de ligação da disciplina com os fenômenos do dia-a-dia.

Após receber a nota do Enem, o candidato poderá escolher até cinco cursos em, no máximo, cinco universidades diferentes. Sendo que o estudante que escolheu um determinado curso como primeira opção tem prioridade sob aquele que o optou como segunda, mesmo que tire uma nota inferior. Assim, a segunda opção e demais alternativas valerão somente para as vagas deixadas pelos estudantes que não se matricularem na primeira escolha.

Um simulado da prova será divulgado pelo MEC nas próximas semanas. Até agora, 21 das 55 instituições de ensino federais anunciaram que vão usar o exame como única forma de seleção.

Com informações da Folha de S.Paulo.

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn