Médicos deverão passar por processo seletivo para fazer residência

O programa de residência médica terá novas regras no país, de acordo com a decisão feita nesta semana entre a Remec (Representação do Ministério da Educação) e a CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica). Entre as medidas em vigor, estão a criação do cargo de preceptor-tutor, a reserva de vagas para médicos residentes convocados para o serviço militar e a introdução de um processo seletivo de admissão para os programas de residência médica.

O exame passará a ser obrigatório a partir de 2005 e será facultativo até o fim do ano, composto por duas fases: escrita e prática. Outra mudança que tem como objetivo garantir mais transparência ao sistema são os novos critérios de avaliação, que passam a contar com normas mais rígidas. A partir das alterações, só conseguirão renovar seus credenciamentos os programas que forem submetidos a análises periódicas, realizadas pela CNRM, com abrangência global e por cinco vezes ao ano.

As alterações atingem, ainda, as habilitações em dermatologia e neurologia. As especialidades, que eram de quatro anos, agora passam a ser cumpridas em três, sendo que o primeiro ano será realizado em clínica médica, de acordo com o perfil de cada habilidade. Nos dois anos subseqüentes, entra-se, de fato, na especialidade escolhida pelo residente.

As medidas também definiram uma carga horária de 40 horas semanais para o preceptor-tutor com o mesmo valor da bolsa concedida ao médico residente, acrescida de 10%. Antes da edição dessa medida, não havia um serviço de preceptoria, função que exerce papel fundamental na orientação direta aos residentes em seus programas de treinamento. Os coordenadores estaduais e os membros da CNRM consideraram muito pertinentes as medidas.

“Tínhamos que regulamentar a função, porque não se pode conceber um bom programa de residência sem um bom nível de acompanhamento”, argumentou Antônio Carlos Lopes. A CNRM volta se reunir nesta quinta-feira (8/7) para dar continuidade às discussões e trabalhos, onde serão abordados temas relevantes nos estados e alguns pontuais em determinadas regiões do país.

Fonte: UOL

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn