Música e descontração marcam a noite de sexta no colégio

Evento envolveu alunos das três unidades; mais de 20 apresentações animaram a torcida.

Os alunos do Colégio Progressão mostraram o talento musical no evento da última sexta-feira (19). Estudantes das unidades de Taubaté e Pindamonhangaba se reuniram na Unidade Taubaté (Avenida Itália) para cantar e torcer pelos colegas.

O festival contou com mais de 20 inscritos nas categorias banda e instrumental. As apresentações tiveram a participação dos estudantes de várias idades, do fundamental II ao ensino médio. Maria Barbosa, mãe da aluna Thaís (2º ano do Ensino Médio – Pinda), ressaltou a importância do festival como forma de integração das unidades do Progressão, “o festival é um ambiente onde os alunos podem se conhecer e se misturar. Não fica uma coisa só de Pinda ou só de Taubaté”. A mãe do Marcius (9º ano – Pinda), Edimara Cruz, completa que o evento ajuda a vencer a timidez, além de ser um incentivo para a cultura.

Thaís Barbosa, 2º EM Pinda, participou das duas categorias do festival: banda e instrumental, e contou com a torcida da família e da professora de música Regina Cintra, com quem aprende há sete anos a tocar teclado. “Ela é uma ótima aluna e realmente tem talento para a música”, comenta a professora que também ajudou Thaís nos ensaios.

“O festival envolve todos os alunos da escola. É uma oportunidade de mostrar talentos e brotar novos talentos, pois os alunos descobrem que são capazes de fazer coisas que não sabiam”, conta a professora de música Luiza Monteiro. Para ela, o mais interessante é ver a coragem dos estudantes. “Não importa se eles sabem ou não cantar, eles vêm para o festival mesmo assim. E eu fico feliz por eles toparem participar do evento”, comemora.

Mas não só de artistas se faz a apresentação, é preciso ter público e torcida para vibrar e cantar com a música apresentada. E a torcida do festival foi um show a parte. Os alunos se envolveram, cantaram e até levaram faixas de incentivo para os colegas. Vânia Oliveira acompanhou a filha Mariana (7ºB de Taubaté) na torcida. “Todos os anos eu assisto o festival, apesar da Mariana não se apresentar. Acho muito criativo e interessante por dar a oportunidade para os alunos mostrarem outros talentos”.

A diretora Giselda Valério explica a importância pedagógica do festival, como uma atividade lúdica que promove a sociabilização e contribui para o desenvolvimento do raciocínio. Outro fator importante é a vitória pessoal sobre a timidez, “nós temos alunos que não têm coragem de fazer uma pergunta na sala de aula, mas no dia do festival vão lá no palco e se mostram para os colegas e pais”.

O Colégio Progressão parabeniza todos os alunos que participaram do festival, seja no palco ou na torcida. Pois sem vocês o show não aconteceria.

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn