Um terço dos adultos brasileiros possui menos de 4 anos de estudo

Por Gerson Monteiro

Apesar da tendência de crescimento nos anos de estudo da população brasileira, um terço dos adultos do país tinha menos de quatro anos de estudos completos em 2003, aponta uma pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na semana passada.

 

Na região Nordeste, cerca de 30% da população com 25 anos ou mais não possui instrução ou conta com menos de um ano de estudo, de acordo com a pesquisa Síntese de Indicadores Sociais.

Segundo o IBGE, a média de anos de estudo vem apresentando uma “lenta tendência” de crescimento nos últimos anos e pulou de 5 anos, em média, em 1993 para 6,4 anos em 2003.

Ainda assim, chama atenção o fato de que o brasileiro médio não possui escolaridade suficiente sequer para a conclusão do ensino fundamental. Conforme o sistema educacional do Brasil, o ensino fundamental se completa em 8 anos.

Esse nível só é atingido, em média, por aqueles com idades de 18 a 24 anos, decaindo para 6,3 anos para a população de 25 anos ou mais, “o que denota a influência da baixa escolaridade das pessoas mais velhas na média brasileira”, diz o relatório do IBGE.

Em relação à frequência escolar, o grupo etário que apresentou maior crescimento nesse quesito foi o de 18 a 24 anos, num aumento de quase 47% de 1993 a 2003. Segundo o IBGE, isso pode ser explicado pela crescente exigência no mercado do trabalho em termos de qualificação de mão-de-obra, o que tem contribuído para o aumento na procura pelo diploma de ensino médio.

A pesquisa confirmou ainda a queda que a taxa de analfabetismo vem apresentando no país -declinou quase 30% entre 1993 e 2003- e quase a totalidade (97,2%) das crianças em idade escolar obrigatória (7 a 14 anos) estavam na escola em 2003. Mas ao mesmo tempo, observou um grande atraso no fluxo escolar dos estudantes.

Em 2003, 20,4% dos alunos de 18 a 24 anos ainda cursavam o ensino fundamental e quase 42%, o ensino médio, de acordo com o IBGE, que compilou a pesquisa a partir de informações da Pnad (Pesquisa Nacional para a Amostra de Domicílios), para 2003.

Fonte: Reuters

Compartilhe esse conteúdo

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn